Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Antes de partir para uma solução aventureira e arriscada diante dos mais simples problemas surgidos no seu celular ou tablet com Android, é preciso pensar com calma e examinar as causas e as possíveis soluções para cada situação. Caso você não tenha qualquer intimidade com a coisa e não faça, sequer, o perfil daquele entusiasta de tecnologia que costuma “se virar bem com esses assuntos”, o melhor talvez seja procurar ajuda de alguém mais experiente ou da assistência técnica, ou pelo menos ter mais cuidado na abordagem da situação.
Todo sistema é passível de apresentar problemas, alguns por falha de hardware, outros por bugs no software mesmo. Alguns por defeito de fabricação, outros por questões relacionadas ao próprio uso. Tenho recebido muitas mensagens de gente que, ao se deparar com um problema no Android, parte para buscar uma solução de forma desorientada e acaba agravando a situação. 






Não é “vírus”!
Existe muita gente interessada em propagar um pânico generalizado com relação a vírus no Android. Os principais favorecidos pelo clima de medo são as plataformas concorrentes e, claro, as empresas de antivírus. A probabilidade de o seu Android estar infectado e de um vírus ser a causa de algum problema visível de mau funcionamento é praticamente nula.
Corroborando com a afirmação acima temos alguns fatores:
1. Apesar de apps infectados terem surgido no Android Market, em todos os casos eles foram rapidamente retirados. Ou seja, para se infectar, você precisa ter baixado um app com malware minutos após a sua postagem.
2. Não há relato de alastramento de qualquer vírus ou malware que tenha por objetivo causar mal funcionamento no sistema. As pragas que surgiram até agora funcionavam silenciosamente em segundo plano tentando cadastrar usuários em serviços pagos via SMS e nenhuma delas era capaz de causar prejuízos no Brasil, pois esses serviços não estão disponíveis para cá.
3.  Você não é “infectado” por um “vírus” no Android simplesmente navegando na web. Para que algo se instale no Android, é preciso que você passe por aquela típica tela de instalação de apps, a mesma que aparece quando você instala um aplicativo no Android Market. Nenhum vírus chegará ao sistema sorrateiramente, sem que você tenha visto aquela tela e tocado a opção para instalar.
Dito isso, caso o seu dispositivo apresente algum problema, elimine o diagnóstico “é vírus” ou “foi ráquer” das possíveis causas. Tecnicamente não há vírus para o Android, houve casos de malware, mas a distinção não é o objetivo desse texto. Mesmo sabendo que existiram alguns apps com malware que chegaram a ser publicados no Android Market, a probabilidade de um deles ser a causa do problema no seu smartphone ou tablet é nula. É mais ou menos como a probabilidade de haver uma moça virgem naquela casa do BBB.

Pode ser o cartão de memória
O que você precisa saber é que um cartão de memória de má qualidade ou defeituoso pode comprometer a estabilidade de um smartphone por inteiro. Não precisa que você use apps instalados no cartão e muito menos que esses apps estejam carregados no momento. O simples fato de um cartão de memória ruim estar inserido no slot poderá arruinar o desempenho e a estabilidade do seu Android.
Para averiguar essa possibilidade, recomenda-se usar o aparelho durante alguns dias sem o cartão e checar se o problema desaparece. Infelizmente, nos modelos mais baratos, o cartão Micro SD é a única unidade de armazenamento para fotos, músicas etc. No Galaxy S II eu simplesmente prefiro não colocar um cartão, usando apenas a memória interna de 16GB disponível.
Esse tipo de problema não é exclusivo do sistema da Google. Ele pode se manifestar em outros smartphones, sabidamente no Symbian. É por isso que a Microsoft inclui, no Windows Phone, um mecanismo de verificação que impede o uso de cartões de memória que não passem por um teste de qualidade e desempenho.

Geralmente, um “Factory Reset” resolve
Isso mesmo. Um problema nessa plataforma é que todo mundo aqui quer ser “ráquer”, sair de cara flashando firmwares desnecessariamente e correndo riscos também desnecessários. Caso o sistema operacional sofra algum dano, seja qual for a causa, são raríssimos os casos em que uma simples restauração aos padrões de fábrica não resolvem.
Para devolver seu Android aos padrões de fábrica, realizando o famoso e salvador “factory reset”, basta ir até “Configurações” e depois ir em “Privacidade” que essa opção estará lá. Caso o pau tenha sido violento ao ponto de o sistema nem ser iniciado, tente acessar o menu de recuperação (recovery mode). É preciso pesquisar pois o macete para chegar no menu muda de modelo para modelo.
O ideal, diante de qualquer problema, tanto no Android quanto em qualquer sistema ou mesmo em outros aspectos da vida, é fazer bom uso da Navalha de Occam. Basicamente, é um princípio lógico segundo o qual a explicação mais simples é também a com mais chances de estar correta. Para diagnosticar o problema, pare com esse delírio de “é vírus”, “foi ráquer”. Não, não foi. Para resolver o problema, desinstale os últimos apps instalados, retire o cartão de memória e, em último caso, faça um reset para as configurações de fábrica.
Caso você não tenha intimidade com o assunto, evite mexer com flashes de firmware e outras práticas arriscadas, viáveis apenas para usuários mais avançados. Esse tipo de procedimento não visa a resolver problemas básicos e deve ser usado apenas quando se deseja trocar a versão do sistema operacional e se tem segurança de como proceder. Em último caso, procure a assistência técnica. Não cai a honra de ninguém.


Via: Android Z

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentario

Bottom Ad [Post Page]